28/08/2019

Nova Odessa é ‘top 10’ em geração de empregos na região de Campinas

Nova Odessa é a sétima cidade que mais gera empregos formais na RMC (Região Metropolitana de Campinas)

Nova Odessa é a sétima cidade que mais gera empregos formais na RMC (Região Metropolitana de Campinas), de acordo com dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgados sexta-feira (24) pelo Ministério da Economia. Entre os municípios com menos de 100 mil habitantes, o Paraíso do Verde é o segundo do ranking regional, com 806 postos de trabalho com carteira assinada abertos entre os meses de janeiro e julho. É o melhor resultado para o período desde 2013.

Nos sete primeiros meses do ano, Nova Odessa registrou 4.430 contratações e 3.624 demissões. No ano passado, o município fechou 154 vagas no período. Foram 3.195 admissões e 3.349 desligamentos, conforme dados do Caged.

Segundo o Caged, os setores de serviços, com 451 vagas abertas, indústria de transformação (206) e comércio (83) são os grandes responsáveis pelo saldo positivo no acumulado do ano. “Mesmo com a adversidade da economia e a instabilidade do mercado, estamos estimulando a geração de empregos e a qualificação da mão de obra, para quando as oportunidades aparecerem nossos profissionais estarem preparados”, comentou o secretário de Desenvolvimento Econômico do município, José Mário Moraes.

No Brasil, segundo o Caged, foram criados 461.411 postos de trabalho (9.600.447 admissões e 9.139.036 desligamentos) entre os meses de janeiro e julho. Na comparação com o mesmo período de 2018, houve crescimento de 2,93%. O resultado de janeiro a julho deste ano é o melhor para o período desde 2014 (632.224).

………………………………..

O Portal N60 oferece notícias curtas e objetivas para serem lidas em até 60 segundos. Clique AQUI, curta a fanpage e fique por dentro dos principais fatos da nossa região.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.