11/08/2017

Viracopos registra crescimento do volume de cargas exportadas 

Em julho, as importações cresceram 43,02% em relação ao mesmo mês de 2016; na exportação, a alta foi de 20,79%

Da redação

A movimentação de volumes de importação e exportação no Terminal de Carga do Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas (SP), registrou crescimento pelo sétimo mês seguido neste ano, reforçando a tendência de crescimento do comércio exterior por meio do aeroporto. No mês de julho, as importações liberadas cresceram 43,02% em peso transportado pelo terminal de carga em relação ao mesmo período de 2016. No total, foram importadas 10.101 toneladas no mês passado, contra 8.346 toneladas em julho do ano passado.

Já no acumulado dos sete primeiros meses deste ano, o crescimento de peso movimentado na importação foi de 21,63% em relação ao mesmo período do ano passado. Entre os destaques na importação (por peso movimentado), comparados ao mês de julho de 2016, estão os segmentos Metal Mecânico (com 57% de crescimento), Automotivo (com 90% de alta), Farmacêuticos (123%) e Tecnologia (43%).

Exportação

No setor de exportação, também manteve-se a tendência de crescimento pelo sétimo mês seguido. Em comparação ao mesmo período do ano passado, a alta foi de 20,79%. Deixaram o país em julho por Viracopos 5.472 toneladas contra 4.530 de julho de 2016. No acumulado do ano, a alta das exportações foi 14,93% em relação aos sete primeiros meses de 2016, com um total de 35.238,08 toneladas. Já entre os destaques na exportação, também por peso liberado, estão os segmentos: Alimentos/Bebida/Fumo, com 364% de alta em relação a julho de 2016, além de Automotivo (33%) e Calçados e Bolsas (26%).

O Portal N60 oferece notícias curtas e objetivas para serem lidas em até 60 segundos. Clique AQUI, curta a fanpage e fique por dentro dos principais fatos da nossa região.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.