15/12/2017

Boletim mostra aumento de notificações para violência doméstica em Campinas

Documento Sisnov registra violência física, de origem sexual, negligência e suicídios, cometidos contra crianças, adultos e idosos

A 11ª edição do boletim do Sistema de Notificação de Violências (Sisnov) de Campinas (SP) apresentado, na tarde desta quinta-feira (14), na Prefeitura, em encontro com as lideranças das secretarias envolvidas e imprensa, aponta alta nas notificações de atendimento de violência doméstica pela rede de cuidados e apoio do Município.

Em 2016, foram 2.136 notificações, acima das 1.814 de 2015 e das 1.227 de 2014. É o maior número desde 2009, quando foi instituída a obrigatoriedade nacional de notificação de casos de violência atendidos pela Saúde, Assistência, Segurança e Educação. Os dados somam violência do tipo interpessoal, intrafamiliar ou urbana/comunitária, contra mulheres, crianças e adolescentes, idosos e de natureza sexual, e a violência autoprovocada (tentativa de suicídio).

A principal forma de violência ainda é a física, com 610 casos em 2016; seguida pela negligência, 524 notificações; e sexual, 393. A quarta forma de violência mais recorrente foi a autoimposta, a tentativa de suicídio, com 307 casos registrados no ano passado em Campinas. Os familiares próximos ainda são os autores da maioria das agressões, com cônjuges, pais e mães/madastras encabeçando a categoria.

 


ÚLTIMAS NOTÍCIAS



Comentários

Não nos responsabilizamos pelos comentários feitos por nossos visitantes, sendo certo que as opiniões aqui prestadas não representam a opinião do Grupo Bússulo Comunicação Ltda.